DIRETOR EXECUTIVO DA FUMEP É ELEITO MEMBRO DO CONSELHO DA CIDADE


Daniel Rosenthal, presidente do IPPLAP; José Luis Guidotti Junior, Semdettur; vice-prefeito Gabriel Ferrato; e diretor executivo da FUMEP, Profº Renato de Albuquerque Ferreira

ÓRGÃO VAI ATUAR NA IMPLEMENTAÇÃO DO PLANO DIRETOR DA CIDADE INTELIGENTE DE PIRACICABA


O diretor executivo da FUMEP- Fundação Municipal de Ensino de Piracicaba, Prof. Renato Albuquerque Ferreira, foi eleito membro do Conselho da Cidade, órgão consultivo e deliberativo em matéria de natureza urbanística e de política urbana, vinculado ao IPPLAP- Instituto de Pesquisa e Planejamento de Piracicaba e composto por representantes do Poder Público e da sociedade civil, num total de 32 membros, sendo 16 suplentes.


Na abertura do evento, o vice-prefeito Gabriel Ferrato, que falou em nome do prefeito Luciano Almeida, evidenciou a necessidade e importância de se ouvir a sociedade para discussão e elaboração de um Plano Diretor da Cidade Inteligente de Piracicaba. “A participação da sociedade civil no processo de planejamento é fundamental para a formulação de políticas públicas”, disse.


A eleição ocorreu na manhã do último dia 16 de outubro, durante a 7ª Conferência da Cidade, nas dependências da FUMEP, e segundo o diretor executivo marca o início do processo de construção do Plano Diretor do Município, tendo-se como referência a interação de sistemas e pessoas para a tomada de decisões cada vez mais acertadas em prol da preservação ambiental e da qualidade de vida de todos.


Após a explanação do conceito pelo diretor-presidente do Ipplap, Daniel Rosenthal, os participantes foram divididos aleatoriamente em grupos para elaborar propostas sobre os tópicos relacionados ao meio ambiente, gestão e negócios, infraestrutura e educação.


Segundo Prof. Renato, as dinâmicas com os grupos temáticos evidenciaram a quantidade de informações que precisam ser discutidas para um Plano Diretor. “Participei do grupo voltado ao meio ambiente e pudemos discutir e apontar problemas relacionados às queimadas, resíduos sólidos, lixo urbano, falta de ecopontos, perda absurda de água, tratamento dos efluentes, muita cana de açúcar e pouco cinturão verde, falta de cuidado com as nascentes e êxodo do campo para a cidade, entre muitos outros temas; enquanto outros grupos discutiram negócios e infraestrutura”, disse.


“Os trabalhos foram lançados e esta foi a primeira reunião de uma série de muitas outras que virão”, considerou o diretor executivo ao evidenciar o papel articulador do Conselho, que atuará intermediando o trabalho junto ao IPLAP no sentido de elencar e apontar os principais pontos e problemas a serem “atacados”.


Ele ressaltou a importância da participação popular de forma cada vez mais expressiva e comemorou o envolvimento da FUMEP nesse processo.



Evento realizado no Salão Nobre da FUMEP




57 visualizações