EEP REVERENCIA O DIA DO ENGENHEIRO E EXALTA SISTEMA CONFEA/CREA

Atualizado: 14 de Dez de 2021


Qualificação na prática: alunos de engenharia vão a campo em busca de experiências reais
Na análise de especialistas, a engenharia é imprescindível ao desenvolvimento sócio-econômico e ambiental das nações

Para reverenciar o Dia do Engenheiro, 11 de dezembro, e reforçar a importância da engenharia, seus grandes feitos e contribuições para o desenvolvimento do país, bem como apontar perspectivas para a profissão no pós-pandemia, a EEP- Escola de Engenharia de Piracicaba promoveu um bate-papo entre o coordenador do CIES- Colégio de Instituições de Ensino Superior do CREA/SP – Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de São Paulo, Prof. Dr. Glauco Cortez; o diretor de Educação do CREA/SP, Prof. Salmen Saleme Gidrão; e o representante da EEP no CREA/SP, Prof. Antônio Carlos da Silveira Coelho.


Para Cortez, apesar de a engenharia estar relacionada com todas as atividades existentes em uma sociedade, muitas vezes, as pessoas não se apercebem de como ela está diretamente envolvida com o dia a dia de praticamente todas as pessoas e em todos os ambientes e lugares.


“A pandemia acabou desencadeando um processo em que as pessoas precisaram parar para adequar suas vidas e seus ambientes e perceberam que nosso convívio é possível graças à engenharia e os processos tecnológicos por ela desencadeados”, considerou Cortez.


Agrônomo por formação, ele lembra que durante pandemia, o exercício de sua profissão não parou, mesmo diante de todos os problemas enfrentados. “Não tivemos escassez de alimentos, nem corrida a supermercados porque o agro se manteve ativo e isso foi importante para a situação atual, de começo de um novo mundo”.

Salmen Saleme ponderou que a engenharia é uma das molas propulsoras do desenvolvimento de qualquer nação. “É inclusive uma forma de independência real dos povos, pois quando se desenvolve ciência e tecnologia, os países ganham condições de crescimento interno e externo. Também ressalta, que de fato, a engenharia é peça estrutural do desenvolvimento de uma nação e questiona: como garantir uma engenharia de qualidade?


Segundo ele, é certa a condição de que engenheiros eficientes se formem dentro de boas escolas, e destaca a necessidade de mecanismos de controle de suas habilidades e competência profissional. “Ao CREA interessa que esses bons engenheiros desenvolvam seus trabalhos de forma eficaz e com responsabilidade em benefício de toda a sociedade”, afirmou.


Ele revela que o CREA tem desenvolvido ações muito positivas no sentido de garantir que a sociedade conte serviços de engenharia de qualidade e disse que CREA não tem como princípio a punição pura e simples de seus profissionais. Em verdade, “o Conselho quer evitar que os maus profissionais atuem no mercado”, disse Salmen considerando inaceitável a ausência de profissionais nos serviços de Engenharia.


Finalmente reforçou que “o Conselho está atento para as situações de inexistência de profissionais habilitados para o desenvolvimento dos processos tecnológicos da engenharia e também para a condição de habilitação adequada para o cumprimento de suas funções e cuja implicação pode resultar em falhas ou faltas técnicas irreversíveis e muitas vezes irremediáveis, inclusive com acidentes fatais.


Ao considerar as ferramentas necessárias ao atendimento dessa demanda, o Prof. Antônio Carlos da Silveira Coelho, citou a importância do Sistema Confea/CREA, criado em 1933, com o objetivo zelar pela defesa da sociedade e do desenvolvimento sustentável do país, considerando os princípios éticos profissionais que envolvem a verificação, a fiscalização e o aperfeiçoamento do exercício das atividades dessas áreas profissionais. “São atribuições de muita responsabilidade, pois impactam diretamente na qualidade do profissional disponível no mercado”, disse.


Segundo os professores, dentro desses conceitos, fica a sugestão de que Dia do Engenheiro deva ser reverenciado por toda a nação, devido a sua atuação junto às mais diversas áreas e setores por meio das engenharias civil, ambiental e sanitária, mecatrônica, de produção, de computação, agronômica, elétrica, mecânica, química, de petróleo e de telecomun