top of page

MULHERES SE DESTACAM NO CONSELHO CURADOR DA FUMEP

Atualizado: 15 de mar.


Tatiane Elaine Zani Bistafa e Alexandra Patrícia Frassetto Ferreira

Até pouco tempo atrás o conselho de curadores da Fundação Municipal de Ensino de Piracicaba (Fumep) era um universo completamente masculino. Com o passar dos anos e diante das inegáveis conquistas na luta pela igualdade de gênero no mercado de trabalho a situação começou a mudar.  Atualmente, dos 23 cargos existentes entre titulares e suplentes, seis deles são ocupados por mulheres.  Diante da comemoração do Dia Internacional da Mulher, celebrado em 08 de março, a diretoria da Fumep decidiu homenagear duas representantes do sexo feminino que pertencem ao conselho e têm obtido posição de destaque no desenvolvimento de suas atividades, sendo elas Alexandra Patrícia Frassetto Ferreira e Tatiane Elaine Zaine Bistafa.


As outras mulheres que compõem os quadros do conselho curador da Fumep são:  Ana Caroline Pistolini, representante suplente dos funcionários da Fumep, Karina Gonzales Silvério Ruiz, representante suplente da FOP/Unicamp e Telma Trimer de Oliveira Pereira e Juliana Damiames Baccarin, representantes suplentes da Prefeitura.


Alexandra Patrícia Frassetto Ferreira, 52, é formada em contabilidade e trabalha na Fumep há 24 anos, sendo que nos últimos quatro anos tem desempenhado a função de chefe de orçamento e contabilidade.  Ela foi a 1ª mulher eleita como titular ao conselho dos curadores para representar os funcionários da fundação. Para chegar ao cargo, venceu uma eleição com larga vantagem contra dois candidatos. “Hoje estou no meu 2º mandato e acredito que toda a comunidade já percebeu que, muitas vezes, deixo de lado a minha vida pessoal para ajudar os funcionários no que for preciso. Essa é a minha prioridade”, frisou.


Alexandra foi a 1ª mulher eleita como titular para o conselho

Embora reconheça que o conselho curador da Fumep ainda é um universo onde predominam as opiniões masculinas, assim como acontece em outros ambientes acadêmicos e corporativos, Alexandra disse estar esperançosa com os avanços obtidos na sociedade de maneira geral pelo empoderamento feminino. “Nós nunca vamos competir com os homens na força física, mas podemos chegar a igualdade de condições por meio do intelecto, delicadeza, e capacidade de observação”, sentenciou.


Ao ser questionada sobre como arranja tempo e disposição para desempenhar tantas funções a servidora pública disse que o segredo está na família, principalmente no apoio e compreensão que recebe do marido Alexandre e dos filhos Tiago e Miguel. “A família é a base de tudo. Se estou equilibrada no lar consigo dar atenção a todos os meus afazeres no ambiente de trabalho”, finalizou Alexandra.


MINHA HISTÓRIA - Tatiane Elaine Zani Bistafa, 35, é formada em Engenharia Civil e trabalha como autônoma na gestão de obras e projetos. Ela diz que integrar o conselho de curadores é uma honra para assim defender a estabilidade e a continuidade de uma instituição importante para a cidade como a Fumep, que também faz parte da sua trajetória.  “Iniciei em 2007 no curso de Engenharia Civil da Escola de Engenharia de Piracicaba (EEP), fui monitora das disciplinas de cálculo e física (EEP e Colégio Cotip), estagiei na secretaria do CEPP e morava atravessando a rua, na frente da Fumep, portanto essa também é a minha história”, revelou.


Para Tatiane é uma honra integrar o conselho e assim defender os interesses da Fumep

Como representante suplente da Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Piracicaba (AEAP) no conselho curador, ela disse que o seu objetivo é buscar a valorização destes profissionais e sempre defender os interesses da Fumep.  Ao ser questionada sobre a presença de um número maior de mulheres no conselho ela foi direta: “Sim o quadro está mudando, mas é necessário que a sociedade entenda que os números não resolvem o problema, é preciso que haja a igualdade de possibilidades e de autoridade. Ao meu ver não adianta inserir as mulheres quando um homem vê isso somente como uma cota a ser ocupada. Eu gostaria que os homens e a sociedade em geral nos vissem com possibilidade e competência para assumir qualquer cargo”, destacou Tatiane.


Ela concorda ainda que a presença crescente das mulheres na Fumep, tanto no conselho como nos próprios cursos de graduação, representa uma importante vitrine para o empoderamento feminino. “Acredito que quanto mais nós mulheres buscarmos defender a Ciência e a Engenharia, mais as meninas que estão assistindo a isso vão se encantar com essa linda profissão! ”, sentenciou.


Publicação

84 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page